Você tem escolhido viver o que é importante para você?

Nunca é tarde para organizar a vida da forma que você gostaria!

Ordenar a vida significa estabelecer prioridades administrando cada situação no tempo certo. Procurar estar sempre no presente, no lugar certo, na hora certa, com as pessoas certas.

Ter consciência de para onde estamos escolhendo caminhar. Se planejar no papel.

Geralmente, vamos “tocando a vida” no “corre corre”. Agimos mais que pensamos.

É importante fazer uma análise criteriosa de como temos utilizado o nosso tempo.

Por mais desorganizada esteja sua vida, existe um sistema de práticas pessoais que é alimentado e que mantém a roda de sua vida rodando dessa maneira. Uma rotina habitual nem sempre satisfatória para você, mas de difícil ruptura.

Está na hora de você parar para uma profunda reflexão e perceber o que realmente é importante para você na sua vida.

Por vezes, nesse ambiente agitado que vivemos, a pressa de fazer não nos permite pensar e isso impacta de certa maneira a nossa capacidade de organizarmos a vida da forma que desejaríamos organizar. Um sentimento de necessidade de urgência sempre acaba falando mais alto do que o que é realmente importante. Costumamos valorizar mais a urgência do que a importância. Isso é um equívoco mental próprio da velocidade das mudanças pelo que o mundo passa.

Nos transformamos assim, quase que em exímios “apagadores de incêndio”, disfarçados de “gestores eficientes”.

Todos, em determinadas situações, precisamos “apagar incêndios”, mas se isso vira rotina do cotidiano, não nos resta tempo para o que é importante. Isso não pode ser considerado eficiência, mas antes disso, um tremendo desperdício de tempo e energia além de baixa produtividade e performance. Geralmente quem só faz o urgente, não tem tempo de se dedicar ao que é importante.

Proponho portanto, criarmos agora um novo ritual de organização dentro de uma nova filosofia de vida, onde o que é importante será mais valorizado do que o que consideramos hoje, urgente.

Uma observação fundamental: O grau de urgência aqui, vai ser determinado pelo grau de importância. Será considerado mais urgente aquilo que tanto quanto, for considerado mais importante. O que determinará a prioridade será a importância e não mais a urgência.

Dedique-se sobretudo ao que é importante e a partir daí, o que era urgente, provavelmente não será mais tão urgente. (Retirado do livro Os 5S do Coração).