Metaforicamente falando, quando um pintor está pintando uma tela, a questão não é como ele pinta, mas como ele interpreta o que está pintando. É isso que preserva a história da obra!

O conceito de resiliência nunca foi tão útil nessa atualidade de caos e incertezas que nos afeta a vida diretamente.

Seja no campo dos relacionamentos, no campo das ações profissionais, da gestão pública e privada, o momento é o de desenvolver a resiliência.

Embora a resiliência seja a capacidade de se recuperar de situações de crise, se não aprendermos durante esse processo, não estaremos sendo resilientes. Por isso, para que enfrentemos a crise de maneira resiliente, devemos ter  a mente flexível, o pensamento otimista, as metas claras e a certeza inefável de que tudo passa.

Outra observação muito útil também, é a de perceber que ser resiliente é ser perseverante e não apenas, resistente. O ato de perseverar, promove pró atividade. O ato de apenas resistir, pode simplesmente, minar nossas forças, por esgotamento natural.

Em qualquer situação, sempre teremos pelo menos, duas escolhas: desistir ou insistir.

O resiliente sempre insiste! Ele sabe que sucesso no presente não garante sucesso no futuro, por isso se planeja para as tempestades.

A ação resiliente permite tornar tudo mais simples, exercitar o óbvio, ser parcimonioso, criativo e aprender a obter o mesmo resultado com menos.

Mais do que inteligência, a ação resiliente prescinde de sabedoria e uma amplitude de visão maior.

Gestores resilientes têm:

– Atitude: assumem a responsabilidade pelo que acontece e não se vitimizam.

– Projeto: sempre encontram um sentido maior e nobre para o que fazem.

– Visão: Conhecem suas forças e limitações.

– Coragem: nunca se dão por vencidos em seus propósitos.

Os gestores resilientes, contagiam seus colaboradores a compreender que a resiliência, não é algo que deva ser encarado como algo negativo ou punitivo, mas como algo que somará ao longo do tempo.

Concluindo, compartilho um conceito de resiliência de um autor desconhecido, que concordo plenamente: “resiliência é igual a abraço de amigo: quanto mais apertado ele é, mais alívio ele promove”.